11 abril 2018

Ela se surpreendeu!





Ela acabou se surpreendo mais uma vez. A história ali era antiga, já fazia anos que os dois se conheciam, e até tinha rolado um interesse da parte dela, mas isso foi antes, antes dela crescer, amadurecer, ir em busca dos seus sonhos e se tornar uma pessoa independente.

Depois de um tempo, em um dia qualquer, eles acabaram se esbarrando em uma dessas ruas movimentadas de São Paulo. Ambos iam pegar o metrô, ela voltando do trabalho, e ele indo para mais uma noitada, cheia de cerveja, mulheres e um papo bobo sobre futebol.

Ela sabia que ele namorava, por isso procurou manter distância, já não aguentava mais se envolver com caras mal resolvidos, que em vez de trazer amor no coração, traziam uma paixão antiga. O tempo passou, e ela seguiu sua vida desse jeito. As vezes eles trocavam uma mensagem aqui, outra ali, mas era bem superficial, pelo menos era isso que ela pensava.

Tempos depois, em um verão qualquer, a notícia de que eles tinham terminado chegou aos seus ouvidos. Ela não ficou feliz, nem comemorou, gostava de ver a felicidade das pessoas ao seu redor, por isso o aconselhou, e disse todos aqueles clichês de que tudo iria passar e que se fosse para acontecer, na hora certa tudo iria se resolver.

Ele superou rápido, e vivia a convidando para sair, mas ela nunca aceitava, afinal não queria que ele confundisse as coisas, muito menos que seu coração começasse a bater pela pessoa errada. E assim foi indo, era não atrás de não, mas ele nunca desistiu, por isso ela não resistiu, e decidiu aceitar, pensando que só iria ser umas cervejas e nada mais, mas mais uma vez, ela estava enganada.

Um copo aqui, um sorriso ali, um carinho no cabelo.... De repente rolou, aconteceu o que ela mais temia, e que sentimento gostoso ele causava nela, o beijo se encaixou, e o jeito que ele a olhava, deixava seu coração quente, derretido.

Alguns finais de semana se foram e os dois continuaram se encontrando, e isso fazia bem para ela, por ele ser mais velho, ela se sentia segura aos seus braços e era reconfortante quando algo não tinha sido bem em seu dia e ele estava lá, pronto para ajudar.

Conforme o decorrer dos dias, ele começou a trata-la de um jeito diferente, bloqueava e desbloqueava ela diversas vezes e mesmo assim ela não tinha desistido, mas em uma madrugada de terça – feira ela entendeu o motivo disso tudo. Ao entrar no Facebook, se deparou com uma foto que a deixou um tanto confusa, tentando entender o por que ele estava comemorando 2 anos ao lado de outra garota, sendo que na cabeça dela ele tinha terminado fazia alguns meses e não mantivera contato com sua ex namorada, mas mais uma vez ela estava errada, e mais uma vez ela se surpreendeu. A pergunta é: será que ela aprendeu?

06 abril 2018

Os blogs estão sendo deixados para trás...

Faz alguns minutos que estou tentando encontrar as palavras certas para dar inicio a mais um texto. Mesmo depois de alguns longos anos, é difícil conseguir me expressar 100% apenas com palavras, e é exatamente sobre isso que vamos falar no post de hoje.

Quase dois meses longe do blog, quase dois meses sem nenhuma palavra publicada por mim, quase dois meses sem textos e sem atualizações sobre todas as novidades que eu tinha preparado para o ano de 2018, enfim, vocês puderam perceber o meu sumiço, e eu tenho certeza que alguns até pensaram que eu tinha desistido, mesmo tendo isso como sonho, né?

Foram dias e dias vivendo uma correria louca, vivenciando e realizando diversas conquistas nas quais eu nem sabia que iria realizar tão cedo assim, o que me deixa imensamente grata e feliz. No meio disso tudo me faltava tempo, ou melhor, dizendo, uma organização eficaz, para conseguir encaixar tudo certinho e para fazer meu dia render, o que acaba sendo meio difícil para uma pessoa tão ansiosa (RISOS).

Com tudo isso, mesmo estando distante, eu não deixei de acompanhar algumas coisas, e a cada dia que passa uma incerteza surge dentro de mim... “O futuro dos blogs”. Quem me conhece sabe que eu sempre fui apaixonada por escrever, e o amor pela comunicação está presente na minha vida desde quando eu era pequenininha, por isso a ideia de criar o Keep Calm Sonhos.

Tudo fluiu normalmente até os últimos meses, mas ultimamente a galera anda preferindo ver vídeos a ler textos, afinal à correria do dia a dia faz isso com a gente né? Mesmo isso acontecendo, eu queria compartilhar com vocês a minha vontade de continuar vivenciando momentos legais por aqui. Esse é um espaço que eu adoro e se depender de mim, jamais ficará para trás.

04 fevereiro 2018

Extraordinário: Lições que aprendi!




Preciso dizer o quão ansiosa estava para escrever esse post! Pela primeira vez na vida eu gostei mais de um filme do que de um livro, e é claro que eu não poderia deixar de compartilhar isso com vocês!

No finalzinho de 2017, fui na Saraiva a fim de comprar dois livros que eu estava querendo muito, Quinze Dias, que aliás foi minha primeira leitura de 2018 e já tem resenha no canal, e o outro era Extraordinário, um livro no qual o filme tinha acabado de lançar e muuuuitas pessoas estavam falando bem. Curiosa, decidi comprar para ler, com a certeza de que depois iria no cinema conferir se o filme era bom mesmo, e foi isso que eu fiz.

O livro é realmente muito bom, bem detalhado e narrado por várias pessoas que são personagens. Extraordinário conta a história de Auggie, um garoto de 10 anos, que nasceu com uma deformidade rara em seu rosto. Auggie tinha aulas em casa com sua mãe, pois a mesma tinha medo que ele sofresse bulling ao frequentar uma escola de verdade, mas no 5º ano ela resolveu fazer uma experiência e matriculou Auggie em uma escola. Durante o livro podemos conhecer um pouquinho mais do dia a dia do garoto e das pessoas que convivem com ele. No filme, algumas coisas mudaram, mas nada que fez falta, aliás a emoção era tanta, que esses pequenos detalhes passaram despercebidos.

E devido a tantos aprendizados, decidi compartilhar algumas das coisas que irei levar para vida toda.

1. Bulling é uma coisa séria!
É claro que todos sabem disso, ou pelo menos deveriam saber, mas não posso deixar de ressaltar a importância que isso tem, tanto na vida das pessoas que praticam, quanto na vida das vítimas que sofrem com isso. Bulling é algo que deixa marcas, que envolve não só a vítima, mas toda a família da mesma. Por isso, pense duas vezes antes de sair por aí distribuindo ódio gratuito.

2. Você só é especial por que é você!
Vivemos em um mundo onde há muita diversidade, e é isso que o torna tão maravilhoso, mas precisamos aprender a lidar com isso, nos tornando conscientes a ponto de saber que somos especiais desse jeitinho, como Deus nos criou.

3. Seja gentil!
Acho que essa é uma das partes que mais me tocou, me ensinando que na vida iremos encontrar vários tipos de pessoas, e com isso vivenciar situações que no nosso ponto de vista, não estão certas, mas mesmo querendo mudar o mundo, não podemos nos esquecer da gentileza, ela deve vir em primeiro lugar, SEMPRE!
4. Se você está em um lugar onde não se sente bem, imagine onde queria estar!
Sempre há aquele lugar onde não conseguimos ficar à vontade, mas por obrigação temos que ir. O filme me ensinou que podemos tornar isso mais fácil, imaginando um lugar bem legal, onde queríamos estar naquele momento.

5. Se você deseja se encontrar na escuridão, seja luz!
A última lição, mas a minha preferida é: “Seja luz”! Independentemente da situação que está vivendo, das pessoas que está tendo que lidar, nunca se esqueça de ser luz, afinal, só assim você poderá se encontrar no meio de toda a escuridão!

Essas foram as lições que aprendi com o livro e o filme Extraordinário. E você, o que aprendeu? Me conte nos comentários.  


25 janeiro 2018

Sobre abrir mão de algumas coisas!

Passei uma semana na praia... Acordando com o sol na minha cara, correndo na orla em plena manhã, me banhando e renovando todas as energias. Talvez eu não estivesse tão pronta para 2018 como estou agora, talvez eu não me sentisse preparada se eu não fosse viajar e se não curtisse cada momento como eu curti. É eu sei, vocês já devem ter escutado esse mesmo discurso por aí, dizendo que a água salgada renova, e sabe de uma coisa? Ela renova mesmo, e mais do que isso, ela nos mostra tantas coisas e nos faz sentir um turbilhão de sensações com aquela imensidão.

Levanto a cabeça, olho a minha volta, arrumo o cabelo, olho para cima sem nem mesmo conseguir enxergar, afinal o sol estava forte demais, e com isso o calor aumentava a cada segundo, decido dar mais um mergulho e lá em baixo, com os ouvidos tapados, olhos fechados e respiração presa, eu me dou conta, me dou conta de que não preciso dele para ser feliz, de que não preciso de contatos no WhatsApp me chamando 24 horas por dia ou daquela pessoa que me marca em todos os memes do twitter, só para dizer que está sempre pensando em mim.


É caro leitor, eu nunca soube descrever exatamente como eu me sentia ao lado dele, como eu me sentia rodeada de pessoas me querendo, e eu querendo apenas ele, como eu vibrava com cada mensagem e como eu sorria pensando naquele abraço. Mas, de uma coisa eu tenho certeza, esses dias na praia, com os pés na areia, me fizeram chegar à conclusão de que abrir mão de algumas coisas não é tão ruim assim, pelo contrário, as vezes é até saudável para nossa vida, e eu vou seguindo assim. 

11 janeiro 2018

Guiada por Deus, mesmo fora da igreja!

E a ideia de não envolver religião nos posts compartilhados por aqui, falhou mais uma vez. Eu não curto falar abertamente sobre isso, pois além de gerar bastante polêmica, eu nunca sei como as pessoas podem interpretar tudo o que eu digo, ou melhor, escrevo (risos).

Mas como eu sempre digo, o Keep Calm Sonhos faz parte da minha vida, e eu costumo compartilhar algumas das coisas que eu vivo por aqui, pois apesar de não me sentir à vontade falando sobre determinados assuntos, gosto da sensação que sinto ao expor a minha opinião.

E hoje eu queria compartilhar com vocês um pouquinho da minha vida espiritual, explicando o porquê parei de frequentar a igreja, e mesmo assim continuo com um amor grande e infinito por Deus, seja lá qual for o seu.

Tudo começou quando eu ainda era pequena. Meus pais sempre foram católicos praticantes, por isso influenciava eu e meus irmãos a seguirem este caminho, no qual eu gostava muito. Cresci dentro de grupos, comunidades e algumas pastorais, e isso me fez muito bem, até o momento que eu cresci e comecei a ter uma visão diferente do mundo, das pessoas e das coisas que aconteciam ao meu redor.

Eu quis sair de alguns grupos, mas por incentivo dos meus pais continuei, mesmo não concordando com muitas coisas que aconteciam lá dentro. As palestras já despertavam inúmeras dúvidas na minha cabeça e eu não entendia o motivo de amar tanto Deus e de me sentir mal na casa dele, até enfrentei algumas pessoas questionando se o meu Deus era o mesmo que o delas, mas acreditem, isso não deu certo.

Em meio a tantas pessoas “santas”, pois eram assim que elas se rotulavam, eu me sentia perdida, eu me sentia fora da “casinha”, não sei se essa é a expressão correta, mas juro que não encontrei outra melhor.

E assim o tempo foi passando e eu fui me sentindo cada vez mais agoniada, com vontade de jogar tudo para o alto. Eu não aguentava mais escutar discursos homofóbicos, pessoas disseminando o ódio, e colocando a culpa nos mandamentos de Deus, só para esconder os preconceitos delas. Não curtia o fato de ver pessoas julgando e apontando o dedo naqueles que um dia já erraram, e pelo que eu me lembro, de acordo com Jo 8, 1-11, “Quem dentro de vós não tiver pecado, que atire a primeira pedra”. Pois é, parece que isso não se aplica muito bem!

E eu não poderia deixar de mencionar o fato de ser de Deus e não poder ser do mundo. Primeiramente todos são de Deus, sem essa de rótulos. E ser do mundo não significa fazer coisas erradas, mas sim frequentar lugares onde eu me sinta bem, ouvir músicas que eu goste, seja elas pagode, samba ou até mesmo funk.


Bom, foi por esses e por outros mil motivos que decidi sair da igreja, e isso não é algo definitivo, quem sabe um dia eu não me sinta preparada e volte para lá. Mas por enquanto estou muito bem aqui fora e gostaria de dizer que em momento nenhum eu deixei de acreditar em Deus, muito pelo contrário, continuo amando e conversando com ele todos os dias e posso afirmar com toda a certeza, o meu jeito de enxergar Deus é muito diferente das outras pessoas, mas o meu Deus não é assim! Ele não é ódio, é amor, ele não é homofóbico, é amor, ele não julga, ele espalha o amor, somente o amor. E continuo sendo guiada por Ele, mesmo não frequentando a igreja. 

10 janeiro 2018

Como organizo os estudos para o ENEM!

Oláaaaa Pessoal! Tudo bem?


Quem viu o vídeo sobre a minha organização para 2018, sabe que neste ano irei prestar vestibular como treineira, para saber como funciona e já começar a me preparar para o ano que vem. Sabendo que tem várias pessoas da minha idade que me acompanham, decidi gravar um vídeo para compartilhar com vocês um pouquinho da minha organização para estudar para o Enem, afinal eu irei estudar sozinha, e isso requer muita disciplina e dedicação! Espero que gostem do vídeo, qualquer dúvida é só deixar nos comentários. 


07 janeiro 2018

5 Motivos para se amar!



Eu sempre falei sobre a importância de se amar e de se colocar em primeiro lugar, e para começar 2018 com o pé direito, não poderia deixar de abordar esse assunto mais uma vez.
Nós sempre pensamos nos motivos para amar as pessoas que estão ao nosso redor, sempre refletimos o porquê gostamos de alguém, mas é raro os momentos que olhamos para dentro de nós e fazemos uma reflexão interna, pensando nos motivos que existem para nos amar. E isso é muito importante, afinal você tem que ser o protagonista da sua própria vida, estando no centro do palco e brilhando, em todos os momentos dela.

Foi pensando em tudo isso que resolvi escrever o post de hoje, para compartilhar com vocês os motivos que o universo nos proporciona diariamente para nos amar. Continue lendo as próximas linhas, e transborde de amor!

1.VOCÊ É ÚNICA!
Eu sei que isso é meio óbvio e talvez seja clichê, mas mesmo sabendo, temos dificuldade de enxergar isso, e muitas vezes nos comparamos a outras pessoas, seja no modo de ser, no jeito de se vestir, no corpo, enfim, isso é um hábito ruim que o ser humano tem. E a partir de hoje quero que você, aí do outro lado da tela, comece a trabalhar isso, deixando a vida alheia de lado e focando em si mesma, aliás você é linda, e tem um jeitinho único!

2.VOCÊ NÃO PRECISA DE ALGUÉM PARA SE SENTIR COMPLETA!
Uma das melhores sensações que existem, é saber que você é feliz e completa sozinha, é claro que é importante ter a família e os amigos do nosso lado, mas não me refiro a esse tipo de amor. Saiba que você não precisa depender de ninguém para viver a sua vida, e quando alguém especial bater a sua porta, lembre-se que é para lhe transbordar, e não lhe completar!

3.NINGUÉM É PERFEITO!
Saber compreender que ninguém é perfeito, é um dos passos principais para nos amar, pois a partir disso conseguimos enxergar que somos ser humanos e estamos programados a falhar, mas não podemos nos sentir menos por isso, muito pelo contrário, temos que aprender com essas falhas, evoluir e nos aceitar do jeitinho que somos!

4.VOCÊ TEM DEUS DO SEU LADO!
Eu me esforcei para não falar de religião neste post, mas é quase impossível não mencionar a pessoa responsável por tudo isso que vivemos, Deus! Seja lá qual for o seu, nunca se esqueça que ele está do seu lado, e que te ama demais, por isso a fez desse jeitinho!

5.VOCÊ SERÁ MUITO MAIS FELIZ!
Por último, mas não menos importante, esse é um motivo muito especial para você se amar. Afirmo com toda a certeza que depois que isso acontecer, sua vida vai mudar para melhor e você será muito mais feliz!


É isso pessoal, espero que tenham gostado do post, pois foi escrito com muito amor e carinho! E nunca se esqueça, você deve se amar em TODOS os momentos da sua vida!!!!